Themudo Lessa Advogados | Marcos Themudo Lessa
Fundado em 2009, ocasião em que Rogério Cruz Themudo Lessa optou por continuar a prestar consultoria jurídica empresarial de alto nível para um pequeno grupo de clientes advindos da sua prática de 41 anos como sócio de um dos mais prestigiosos e tradicionais escritórios de advocacia do Brasil.
Themudo Lessa Advogados, Lessa Law, Rogério Lessa, Rogério Themudo Lessa, Marcos Lessa, parcerias, consultoria jurídica
6939
page-template-default,page,page-id-6939,ajax_leftright,page_not_loaded,,homa-ver-1.4.1, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,blog_installed,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

vCardIcon

MARCOS THEMUDO LESSA atua nas áreas de fusões e aquisições, joint ventures, operações com fundos de private equity, ofertas públicas, restruturações, ativismo minoritário e financiamentos.

 

Representa companhias, administradores e acionistas em assuntos de compliance e procedimentos perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e BMFBovespa. Iniciou sua carreira trabalhando durante 5 anos como advogado no setor de fusões e aquisições do escritório Mattos Filho Advogados.

 

Posteriormente trabalhou por quase 3 anos como advogado internacional no setor empresarial do escritório Cravath, Swaine & Moore, em Nova York. Antes de se juntar ao Themudo Lessa Advogados, atuou como diretor jurídico na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), onde permaneceu por 7,5 anos.

 

É formado em direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2001), possui mestrado (LLM cum laude) em corporate law na Northwestern University (2004) e certificação em administração de empresas pela Kellogg School of Management (2005).

 

Como transações representativas nos últimos anos, foi responsável pelos aspectos jurídicos e pela coordenação da fusão dos negócios de mineração da CSN e do consórcio asiático formado por Itochu Corporation, JFE Steel, Kobe Steel, Nisshin Steel, Pohang Iron and Steel Company – POSCO e China Steel Corporation, no valor de US$16 bilhões; pelo redesenho societário e financeiro do projeto de infraestrutura ferroviária Transnordestina Logística S.A., no valor de R$7,2 bilhões; e aquisição de participação pela CSN de 16% do capital da Usiminas, no valor de R$3 bilhões, o respectivo litígio societário, questões concorrenciais e ativismo minoritário.